A arte de empurrar com a barriga

A arte de empurrar a vida com a barriga

Quem nunca protelou que dê a primeira barrigada. Quem nunca praticou a sagrada arte de deixar para amanhã o que deve ser feito hoje, que fale agora, ou deixe para falar mais tarde.

Se você assistiu a “E o Vento Levou” certamente se lembrará da última fala do filme, quando a heroína, Scarlett O’Hara, do topo de uma montanha de problemas e diante da necessidade urgente de tomar uma atitude, fala: “Amanhã eu resolvo”. Essa é a frase de cabeceira de todo protelador. Nada conforta mais alguém com esse perfil do que “fazer a Scarlett”.

Há vários nomes para esse pernicioso hábito, alguns até simpáticos: protelar, empurrar com a barriga, adiar, “fazer a Scarlett”, bancar o desentendido, ficar na moita. Seja lá como se denomine a sagrada habilidade de deixar para depois o que deve ser resolvido hoje, o fato é que se trata de um problema sério. Então pare de empurrar com a barriga a solução desse problema, e vamos a ele.

Em primeiro lugar, não caia na autoilusão de pensar que somente os outros são proteladores. Todo protelador no fundo é também uma pessoa que mente a si própria. Saiba que a maneira mais eficaz de resolver o problema é, antes de tudo, identificá-lo. Portanto, se você é do tipo que passa horas no Facebook, enquanto devia estar estudando ou fazendo o seu trabalho, se as pilhas de papéis se acumulam à sua volta enquanto você fica mexendo em uma coisa e outra, feito uma barata tonta, mas não sabe por onde começar, se você é do tipo que tenta fazer coisas demais ao mesmo tempo, sem prioridade, prazo ou método, não tenha dúvidas, você é um protelador nato.

Você sabia que o medo é uma das principais causas da protelação? E, por incrível que pareça, o medo do sucesso pode ser o principal fator que o impede de começar uma tarefa. Infelizmente, vivemos em uma sociedade que tende a encarar pessoas bem sucedidas como materialistas ou egoístas. É como se o sucesso e a riqueza fossem maus por si mesmos. Prova disso são frases do tipo “aquele determinado artista fez um pacto com o diabo para conseguir o sucesso”. Há até uma frase bíblica nesse sentido: “É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que um rico herdar o reino dos céus”.

Talvez essa visão negativa do sucesso o deixe com medo de correr atrás de seus sonhos. Mas lembre-se de que, por si só, ser bem sucedida e rica não torna uma pessoa má. Há materialistas e egoístas em todas as classes sociais. Há pobres mesquinhos até o último fio de cabelo. Até mesmo um mendigo pode ser materialista e muquirana. Do mesmo modo, há pessoas generosas e altruístas com bolsos recheados. Dinheiro não molda, tampouco modifica o caráter. Pense nisso.

O perfeccionismo é outro traço de personalidade que trava as pessoas. Alguns gostam de escrever, mas por medo de não serem capazes de se tornar um novo Machado de Assis ou um José Saramago, não começam. Outros pensam em pintar quadros, mas não querem ser nada menos do que o novo Van Gogh. Nessa toada, nunca se sentem prontos para começar, pois sempre exigem demais de si mesmos. E seguem adiando os sonhos, que permanecem, por isso, apenas no campo dos sonhos, sem jamais virarem objetivos.

Pare de pensar que você pode ser perfeito. Isso não existe. E é bom que perceba isso o quanto antes. É preciso, sim, buscar a excelência naquilo que se faz, mas não é possível atingir a perfeição. As pessoas confundem competência e excelência com a ausência de quaisquer defeitos. Esse é um mito que nos trava e faz com que nos esqueçamos de que grandes profissionais, de várias áreas, começaram do zero e se tornaram grandes com o tempo. Ou você acha que Da Vinci começou a carreira pintando a Mona Lisa? Será que Niemayer começou sua vida de arquiteto com a criação de Brasília? Até mesmo Coco Chanel começou sua brilhante carreira no mundo da moda em um cubículo onde fazia chapéus.

A falta de planejamento é outra característica dos que deixam tudo para depois. Estão até cheios de ideias e de boas intenções, mas a mente às vezes vive em tal turbilhão, que não sabem por onde começar. E como não sabem por onde começar, jamais começam. Para esses, talvez uma agenda resolva. Escreva em uma lista o que precisa ser feito. Estabeleça prioridades. Marque datas para começar e terminar suas tarefas. Termine o que começou antes de iniciar uma nova atividade. Você verá como essas atitudes simples farão diferença. E livre-se do mito de que planejar é perda de tempo. Pelo contrário, o tempo que se leva planejando será muito bem recompensado. Você verá que sua tarefa sairá mais depressa e com melhor qualidade. E isso ainda o ajudará a controlar o hábito de protelar.

Há inúmeras outras dicas para ajudar a combater a protelação. Mas cabe a cada um encontrar o seu caminho. A chave é começar. Não deixe para amanhã o que deve ser feito já. Não se esqueça de que quando você persegue seus sonhos, um mundo de possibilidades abre-se diante dos seus olhos. Isso pode até parecer piegas, mas não duvide de que é a chave para uma vida plena e cheia de entusiasmo. O contrário também é verdadeiro. Quando você deixa para depois o que é importante na sua vida, o resultado é só frustração, cansaço e tristeza. E você acaba se sentindo um idiota vazio por não ter realizado as metas que se propôs ao longo da vida.

Portanto, mova-se já! Neste exato momento. Não deixe para o novo ano novo os objetivos que deveria ter realizado no ano passado. Se não é bom empurrar seus problemas com a barriga, pior ainda é adiar seus sonhos. Quantas vidas você acha que terá para conseguir o que quer? Com quantos anos você está agora? Quanto tempo você pensa que ainda lhe resta? Até quando você vai “fazer a Scarlett”? Pense nisso. E aja!

2 comentários sobre “A arte de empurrar com a barriga

  1. Jhony Rodrigues disse:

    Adorei o texto, inspirador.
    Pra maioria existe uma tremenda dificuldade em conseguir organizar seus planos e sonhos, o texto é ótimo, esclarecedor =D

Os comentários estão fechados.